30 de jun de 2012

Personagem e Morte

Para se contar uma história que sobreviva as intenções e a mesquinhez do seu autor, é preciso manter viva e inabalável a possibilidade de matar seus personagens, todos eles, a qualquer momento.
Mesmo que ninguém morra na história, essa possibilidade precisa estar livre, solta, espontânea, disponível a cada novo páragrafo. Um personagem nasce com a mesma ambição dos leitores: salvar sua história da mediocridade. Se o teu personagem nunca padece da possibilidade da morte, ele jamais conquistará qualquer relevância na vida. Nós, que sempre nos vemos como autores, mas em grande parte, somos apenas personagens de nossas próprias histórias.

23 de jun de 2012